skip to Main Content
UK: +44 131 475 7200
USA: +1 732 662 6445
  • en
  • fr
  • de
  • pt-br
  • es
A Cidade Segura E Sua Demanda Por Interoperabilidade

A cidade segura e sua demanda por interoperabilidade

Na IndigoVision, acreditamos em integração perfeita com hardware e software de terceiros para que nossos clientes tenham a flexibilidade de que precisam para criar uma solução que atenda exatamente aos seus requisitos. Este compromisso é a razão pela qual fomos um dos primeiros membros ONVIF a facilitar a padronização de interfaces para possibilitar interoperabilidade eficaz de produtos de segurança por IP. Em um blog convidado, Per Björkdahl, Diretor da ONVIF, fala sobre a importância da interoperabilidade em cidades seguras.

As cidades da atualidade frequentemente usam sistemas de gerenciamento de vídeo ou outras plataformas para visualizar imagens de câmeras, proteger cidadãos e propriedades, analisar incidentes, avaliar segurança e ajudá-los a determinar respostas apropriadas para eventos como desastres naturais, perturbações ao tráfego público e outros serviços municipais, além de outras ameaças à segurança pública. As cidades que estão implementando esta abordagem de segurança conectada são tipicamente chamadas de cidades seguras ou inteligentes. A maioria das cidades seguras tem em comum a infraestrutura e operam usando sensores e/ou câmeras em uma rede municipal compartilhada. Ao utilizar esses sensores e os dados de vários dispositivos diferentes sintetizados através de uma interface, agentes governamentais e de segurança pública se beneficiam de uma vista abrangente da segurança de uma cidade.

Integração das várias partes de uma cidade segura

Há desafios operacionais que acompanham os vários sistemas inclusos na implementação de uma cidade segura. A interoperabilidade continua representando um dos maiores desafios, especialmente com sistemas de gerenciamento de vídeo, dispositivos de gravação de vídeo e câmeras. O cenário mais comum é que os municípios tenham vários sistemas de gerenciamento diferentes para as operações da cidade que tenham sido criadas por fabricantes diferentes, cada um deles com suas interfaces proprietárias para integração.

Para conectar esses sistemas diferentes uns aos outros, as cidades geralmente acabam implementando uma abordagem com fornecedor único no estilo “construção uma vez e manutenção para sempre”, onde o custo contínuo de integração dos sistemas da cidade se torna excessivamente caro. Em um mundo onde a tecnologia e os recursos mudam rapidamente, esta abordagem não é considerada prática porque limita severamente a capacidade de um usuário final de experimentar novas tecnologias e/ou produtos de diferentes fornecedores e requer um comprometimento financeiro significativo com fabricantes específicos e interfaces proprietárias.

Normas em cidades seguras

Normas, como as da ONVIF, proporcionam uma ligação comum entre componentes discrepantes de sistemas para cidades seguras. Concebido especificamente para superar os desafios em ambientes com múltiplos fornecedores, as interfaces comuns da ONVIF facilitam a comunicação entre tecnologias de diferentes fabricantes e fomentam um ambiente de sistema interoperável. Usar essas normas possibilita a interoperabilidade entre componentes individuais de sistemas diferentes e também entre sistemas diferentes, desde que estejam de acordo com as especificações da ONVIF.

Uma abordagem padronizada em relação ao formato de arquivo e aos reprodutores associados, que é um desafio em ambientes com múltiplos fornecedores, também é fornecida pela ONVIF, aumentando a eficiência do processo e também adicionando o potencial de inclusão de metadados em relatórios e materiais exportados. A ONVIF também lançou uma especificação de formato de arquivo para exportação que destaca um formato definido para exportação eficaz de material gravado e investigação forense. Estas especificações proporcionam um formato comum de arquivo para exportação eficaz que aperfeiçoa investigações pós-evento onde as autoridades estejam tentando reagir da maneira mais rápida possível para apreender suspeitos ou resolver uma situação em andamento.

Normas multidisciplinares

Uma norma de segurança física multidisciplinar que especifique parâmetros para vigilância por vídeo, controle de acesso e outras operações essenciais do centro de comando de uma cidade segura provavelmente aumentaria ainda mais a prevalência das cidades seguras. Muitas pessoas no setor de tecnologia veem normas como um componente importante em cidades seguras e na Internet das Coisas (IoT). O IEEE (Instituto de engenheiros elétricos e eletrônicos) e outros grupos de normas já estão trabalhando em normas para IoT para setores baseados em tecnologia.

À medida que as normas e os setores colaboram ainda mais e estabelecem juntos padrões mínimos de interoperabilidade, a necessidade de normas de segurança física multidisciplinares se tornará mais urgente. A ONVIF acredita que todos os sistemas de segurança física eventualmente terão as mesmas interfaces para facilitar a interoperabilidade, e a organização está dedicada a facilitar o trabalho de seus membros no desenvolvimento de uma norma multidisciplinar como essa.

Back To Top
X